(11) 5070.1799 • (11) 3136.1540

Embora muitas pessoas possam estar mais familiarizadas com lesões comuns no local de trabalho, como escorregões e quedas, poucas estão cientes do potencial de doenças ocupacionais. 

Esses problemas de saúde (ocupacionais) podem se desenvolver ao longo do tempo, como resultado da exposição a substâncias tóxicas, condições perigosas no local de trabalho, desgaste mental, dentre vários outros fatores.

E o mais importante de tudo é frisar que essas doenças podem ter sérios efeitos à saúde a longo prazo. Além disso, muitas vezes, elas requerem tratamentos médicos caros. 

Sendo assim, os empregadores precisam se antecipar para justamente prevenir os dilemas. 

Como? Bem, a tarefa é proporcionar um ambiente de trabalho seguro e implementar precauções para prevenir o desenvolvimento de doenças profissionais. 

O primeiro passo a ser dado, agora, é se aprofundar no assunto. Para isso, conte com as informações da iFractal! 

Boa leitura! 

Confira também: o que é controle de ponto online e as vantagens para a sua empresa?

O que são doenças ocupacionais?

São chamadas de doenças ocupacionais aquelas causadas pelas condições da atividade profissional em si e/ou pelas condições do local de trabalho. 

Mas, afinal, quais e como são essas doenças? Já, já vamos falar sobre isso. Por ora, vale dizer que as doenças ocupacionais podem ser desencadeadas por: 

  • exposição a materiais perigosos; 
  • iluminação inadequada; 
  • ruído excessivo; 
  • calor ou frio fora dos padrões ideais; 
  • movimentos repetitivos; 
  • permanência em uma mesma posição por horas (diariamente); 
  • dentre várias outras causas. 

Aqueles que desenvolvem uma doença ocupacional têm direito à compensação por meio de um seguro de acidentes de trabalho. 

Nesses casos, o trabalhador deve ir a um médico do trabalho (vinculado à empresa para qual ele trabalha). 

Posteriormente, é necessário dar andamento ao afastamento temporário das atividades profissionais (por meio do INSS, se a pessoa tiver registro em carteira). 

Mas, claro, você, como empregador, não quer que isso aconteça, certo? Até porque, além de causar prejuízos à vida do trabalhador, a empresa acaba com sua equipe desfalcada. Esse fato, diversas vezes, causa prejuízos. 

Então, o mais importante é ficar por dentro do assunto, buscar medidas de segurança e ouvir os funcionários com mais atenção e periodicidade. 

Vamos continuar falando sobre tudo isso. Continue por aqui! 

Divisão das doenças ocupacionais

Existem dois grandes grupos de doenças ligadas aos exercícios profissionais. Eles são chamados de: doenças profissionais e doenças do trabalho. 

Confira, abaixo, quais são as diferenças entre esses tipos de problemas: 

Doenças profissionais

Doenças ocupacionais

As doenças profissionais são aquelas causadas pelo exercício da função em si. 

Um caso, infelizmente, muito comum disso é o burnout — doença mental causada por situações de trabalho desgastante, como altas demandas. 

Um gestor pode ter tantas responsabilidades que acaba sofrendo com burnout. Ou seja, esse é um exemplo em que a função em si da atividade desencadeia uma doença profissional. 

Doenças do trabalho

Já as doenças do trabalho são desencadeadas pelas condições em que o trabalho é praticado. Vamos usar um exemplo para ilustrar esse caso também.

Quem trabalha em uma cozinha industrial com exposição de calor excessivo pode ter fraqueza, irritabilidade e até quadros de ansiedade. 

Ou seja, as características do local causam a doença do trabalho. 

Principais doenças ocupacionais

No Brasil, com o passar dos anos, foi possível identificar e classificar os mais variados tipos de doenças ocupacionais. 

É importante frisar que todas as doenças relacionadas às atividades profissionais estão enquadradas na Lei 8213/91 (pela Previdência Social) e pela Portaria 1339/91 (por meio do Ministério da Saúde).

Vamos ver quais são as principais: 

Ler/Dort

LER é uma sigla que representa Lesões por Esforços Repetitivos. Digitar, dirigir, embalar mercadorias, cozinhar, enfim, muitas atividades profissionais podem causar LER. 

Outra das doenças ocupacionais é a Dort, que significa Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho. 

A diferença entre esses dois tipos de doenças é que a segunda não tem causa restrita aos movimentos repetitivos. 

Por exemplo, uma pessoa pode fazer um tipo de esforço excessivo — em um mês, carregar muito peso no trabalho. Com isso, acaba desenvolvendo bursite. 

Dorsalgia

A dosalgia representa um tipo de dor nas costas — mais especificamente, a dor na coluna torácica. 

Já a causa pode ser desde uma tensão muscular, má postura até uma hérnia de disco. 

Quem sofre desse problema costuma ter dor muscular, mobilidade reduzida, rigidez na coluna torácica, dor aguda, dificuldade para respirar, queimação nas costas, dores que irradiam, para as pernas, dentre outros. 

A lista de incômodos realmente é extensa. 

Conheça as doenças ocupacionais

Transtornos mentais

Não só o corpo, mas também a mente pode adoecer devido ao trabalho. No Brasil, infelizmente, existem muitos casos de doenças ocupacionais ligadas à mente. 

Alguns exemplos de problemas de saúde desse tipo são: Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG), depressão e burnout. 

Vale o destaque para esse último exemplo que é totalmente ligado ao trabalho. Diferente de outras doenças mentais, que podem se manifestar devido a outros fatores, o burnout é especificamente por causa das atividades profissionais. 

A Síndrome de Burnout, também chamada como Síndrome do Esgotamento Profissional, é uma doença mental desencadeada por um trabalho desgastante. 

O excesso pode ser ligado a um número muito grande de atividades, prazos de entrega curtos de mais, responsabilidades maiores do que o comum, enfim. 

Os sintomas podem envolver: dificuldade de concentração, insônia, sentimentos de insegurança e fracasso, insônia, alterações no apetite, dentre outros. 

Transtornos das articulações

Mais um grupo de doenças ocupacionais é o de transtornos das articulações. Mas, o que são exatamente doenças articulares? 

Elas são doenças que podem prejudicar extremidades ósseas, tendões, cartilagens, ligamentos e até a membrana sinovial (responsável por amenizar os atritos nas articulações).

Quem tem doenças dessa natureza costuma apresentar: inchaço e sensação de calor na área afetada, rigidez das articulações, dificuldade para se movimentar e afins. 

Varizes nos membros inferiores

As varizes nas extremidades inferiores são um problema médico comum, afetando até 25% dos adultos. 

As veias inchadas e torcidas podem causar desconforto e levar a complicações de saúde mais graves. 

A má circulação sanguínea e a hereditariedade são frequentemente fatores contribuintes. 

Mas, atenção: ficar em pé ou sentado por longos períodos pode, sim, aumentar a probabilidade de desenvolver varizes. 

Transtornos auditivos

Transtornos auditivos, ou distúrbios auditivos, podem ser causados ​​por uma variedade de fatores, um deles é pela exposição a ruídos intensos. 

Existem várias situações de risco que podem levar aos transtornos auditivos. Exemplo: um profissional que faz a sinalização para aeronaves em solo (também chamado de manobrista de avião) fica mais sujeito a problemas auditivos. 

Afinal, as aeronaves emitem sons muito altos, bem maiores do que outras situações comuns da vida. 

Já os sinais mais comuns desse problema são: diminuição da capacidade de ouvir, dificuldade para localizar sons e até diminuição da memória. 

Como prevenir doenças ocupacionais?

Tomar medidas para prevenir doenças ocupacionais não só beneficia o bem-estar dos trabalhadores, mas também ajuda a melhorar a produtividade e, em última análise, beneficia a empresa como um todo.

Confira, então, como tomar os devidos cuidados para evitar doenças ocupacionais: 

Ginástica laboral 

A Ginástica laboral, ou exercício no local de trabalho, é uma prática importante para a manutenção da saúde e da produtividade dos funcionários

Ao praticar movimentos e alongamentos na jornada de trabalho, os funcionários podem melhorar seu bem-estar geral e evitar os efeitos negativos de ficar sentados em uma mesa o dia todo. 

Além disso, a ginástica laboral também pode ajudar a melhorar a circulação sanguínea, reduzir a tensão muscular e as dores nas articulações e prevenir lesões por esforços repetitivos. 

Os empregadores podem facilmente incorporar essa prática agendando intervalos regulares para exercícios ou fornecendo recursos para que os funcionários se envolvam em exercícios autoguiados. 

O que sã doenças ocupacionais

Conscientização 

Muito provavelmente, você desconhecia grande parte das informações que falamos até aqui. 

E lembrando: todas elas são cruciais, representam o primeiro passo para evitar as doenças ocupacionais. 

Dito isso, é de extrema importância que você compartilhe essas informações com outros profissionais. 

É possível fazer workshops, materiais educativos e, até mesmo, reformular a cultura da empresa com base em mais saúde e bem-estar. 

É necessário fazer as informações e os dados circularem, para que todos possam praticar as medidas preventivas. 

Plano de saúde

Além do monitoramento das condições do local de trabalho, check-ups médicos regulares também podem ajudar os funcionários a detectar e resolver quaisquer problemas de saúde (antes que eles se tornem mais graves). 

Então, um reforço nos cuidados é oferecer planos de saúde aos funcionários. 

É claro que a escolha do plano em si e da modalidade dele (com ou sem participação) dependem da realidade de cada empresa. 

O bom é que, no Brasil, existem muitas empresas que vendem planos de saúde, a oferta é grande. 

De qualquer modo, procure mais informações e serviços desse assunto. Certamente, seus funcionários ficarão bem satisfeitos (e mais respaldados) com esse benefício. 

Automação de processos

A automação de processos pode trazer muitos benefícios para um negócio. Muito além de poupar esforços e, assim, prevenir doenças ocupacionais, existem outras vantagens… 

A praticidade pode aumentar a produtividade e, até mesmo, reduzir erros em tarefas e processos. 

Somando tudo isso, a automação pode surtir efeito positivo nas metas de uma empresa, pois, geralmente, leva à economia de custos em mão de obra e recursos. 

Alguns exemplos de automação são: máquinas, robôs e dispositivos que fazem parte de atividades profissionais. Hoje em dia, a inteligência artificial está bem avançada para isso. 

É claro que a decisão de automatizar deve ser tomada após uma análise cuidadosa dos potenciais benefícios versus desafios para um negócio específico. 

Leia também: Como fazer otimização do RH e redução de custos

Conclusão

Neste conteúdo, falamos sobre doenças ocupacionais. Vamos relembrar os principais pontos? 

Muitas pessoas — sejam elas empregadoras ou empregadas — não percebem que o trabalho pode ter um grande impacto na saúde física e mental. 

Vamos relembrar que doenças ocupacionais são doenças ou lesões causadas pelas condições ou atividades do local de trabalho. 

Os problemas variam entre complicações na coluna, burnout, varizes, LER, Dort, dentre tantas outras.

Infelizmente, essas doenças geralmente não são reconhecidas, pois os sintomas podem não aparecer até anos após a exposição inicial. 

Dito isso, é importante que os empregadores monitorem as condições de trabalho e forneçam educação adequada e medidas de segurança para prevenir a ocorrência de doenças ocupacionais e profissionais. 

Detectar e prevenir  doenças ocupacionais — sem dúvida alguma — pode garantir um ambiente de trabalho saudável e seguro para todos.

Não deixe de oferecer essa segurança para seus funcionários e equipes! 

Quer saber outros assuntos sobre boas práticas para saúde e bem-estar no trabalho? Continue aqui pelo blog da iFractal! 

Você que gostou desse conteúdo, confira também: Gestão de pessoas à distância: como manter a produtividade dos funcionários em home office?