Entenda a gestão do ponto eletrônico em home office

Por Eliangela Lopes

Nos últimos anos, tem se tornado cada vez mais comum as empresas que, por economia ou como benefício, optam pelo trabalho remoto. 

Segundo uma pesquisa realizada, em 2017, pelo Spaces, espaço de trabalho compartilhado na Vila Madalena,
55% dos funcionários de grandes empresas no Brasil fazem, pelo menos, um dia por semana, de home office.

Qual é a importância do suporte e manutenção ao contratar um software?

Natham Torrecillas

Quando falamos de tecnologia, automaticamente estamos falando de constância evolutiva. Quando associamos à gestão de pessoas, a troca por novas soluções de automatização de atividades burocráticas, como a gestão de ponto eletrônico, essa questão tem sido essencial na pauta de líderes e gestores de empresas que sempre estão crescendo.

Qual é a versão tecnológica do seu RH?

Por Érica Antunes

Enquanto algumas empresas buscam evoluir, outras ainda têm aversão pela tecnologia

Nos últimos anos, o recursos humanos, que era um departamento estritamente técnico, se transformou em uma das áreas mais estratégicas nas empresas. Por esse avanço e pelo constante investimento em tecnologias para otimizar tempo e reduzir custos, o setor ganhou o título de RH 3.0.

Recursos Humanos precisam de liberdade contratual

Por Marcelo Germano de Oliveira

Os tempos mudaram. Se antes o uso de tecnologia era uma opção para a gestão de pessoas, hoje é uma aliada estratégica indispensável para automatização de atividades estritamente operacionais e tomada de decisões com base em dados e métricas online.

iFractal apoia jogadora da Seleção Brasileira Feminina de Flag Football

Seleção Brasileira Feminina de Flag Football lança campanha #DeixaElasJogarem para conseguir disputar o quarto Mundial no Panamá

A Seleção Brasileira Feminina de Flag Football, uma modalidade adaptada do futebol americano, busca apoio para disputar o quarto Mundial no Panamá. Com o intuito de chamar atenção para as dificuldades enfrentadas por diversos times amadores espalhados pelo país, as atletas lançaram a campanha #DeixaElasJogarem, na plataforma de crowdfunding Vakinha.