[case] Aba Harley-Davidson

Na última sexta-feira de setembro, fomos visitar o nosso mais recente cliente: Aba Harley-Davidson, localizada em São Paulo, na Pompeia, considerada a maior concessionária da Harley-Davidson da América Latina.

Logo que chegamos fomos recebidos pelo Waldir Ielpo, gerente comercial, que nos apresentou a megastore inspirada na fábrica de Milwaukee: começamos com um tour no showroom, depois conhecemos a área de serviços mecânicos, o espaço de test ride, onde, também, acontece o exclusivo treinamento de direção para os recéns pilotos da marca, a garagem retrô para lavagem das motocicletas e a boutique, em que há peças de vestuário, acessórios, calçados e produtos para customização. Com cerca de 22 mil itens é um tremendo desafio sair de lá sem algum artigo Harley.

Uma curiosidade é que os proprietários costumam investir 70% do valor das motocicletas em peças de customização e vestuário, o que torna cada modelo único e demonstra a paixão pela marca.

Essa paixão, com certeza, nós pudemos experimentar durante toda a visita guiada pelo Waldir, mas o auge foi no momento em que tivemos a sorte de assistir a entrega de uma Harley. Explico: somente nesta unidade é feita uma entrega especial em que o cliente sente todo o espírito da Harley. “Sempre há muita emoção nesse momento, para o nosso cliente, adquirir uma motocicleta da marca ícone do motociclismo mundial é a realização de um sonho”, Waldir, descreve.

Como a maior concessionária da Harley-Davidson da América Latina melhorou os processos no Recursos Humanos

Durante a visita, Waldir nos contou que antes de instalar o sistema de gestão de pessoas da iFractal, todo o processo da jornada de trabalho era feito no papel. “Até existia um sistema, mas como não era intuitivo, eu não conseguia usá-lo. Por esse motivo, havia muitas divergências de informações”, explica.

 

Caio Carraro
Waldir Ielpo : Gerente Comercial da Aba Harley-Davidson

Essa situação levou a Aba buscar outra solução para facilitar o processo e obter uma gestão de pessoas mais transparente: a empresa optou pela implantação do sistema de gestão de pessoas da iFractal. “Atualmente, com os relatórios gerados pelo sistema, consigo ter uma visão clara do que aconteceu no mês. O processo de fechamento da folha de pagamento ficou muito mais tranquilo e sem estresse”, comemora.

“Estamos felizes em ter a Aba Harley-Davidson em nossa carteira de clientes. Assim como a Harley-Davidson, entendemos a importância da marca e que nela se carrega toda a história de uma empresa, a dedicação de todos os colaboradores, a entrega ao cliente. São fatores que justificam o sucesso da jornada”, afirma Marcelo Germano de Oliveira, diretor comercial da iFractal.

 

iFractal comemora 1 ano de lançamento do sistema STOU

A iFractal, especialista em desenvolvimento de software em nuvem para gestão, em parceria com o Lab Evoluir, comemora, em agosto, 1 ano do lançamento da plataforma STOU, ferramenta para gestão de pessoas que aproxima colaboradores e gestores, permitindo mais clareza e agilidade na gestão, bem como empoderamento individual através do monitoramento contínuo do engajamento e na captação das emoções e registros dos colaboradores.

Materia 1 ano Stou no Conarh 02-b
Marcelo Cardoso

O lançamento aconteceu durante o Congresso Nacional de Recursos Humanos (Conarh 2016) e atraiu atenção dos visitantes, que se mostraram entusiasmados com as possibilidades que a plataforma traz frente aos novos desafios dos gestores. Durante o evento, Marcelo Cardoso, executivo com mais 22 anos de experiência em cargos de liderança, apresentou a palestra “Engajamento: A tecnologia a serviço de liberar o potencial dos colaboradores”. Cardoso comentou sobre a necessidade de compreender a energia psíquica dos colaboradores e como transformá-la a serviço da tarefa empresarial. Desde o lançamento, a iFractal tem se dedicado a alinhar os recursos da plataforma com as demandas reais sobre gestão de pessoas.

O que mudou depois de 1 ano

Uma das principais novidades foi agregar funcionalidades necessárias para um RH estratégico, como relatórios de divergência e não conformidade legal. “O Stou é um software completo que disponibiliza, para o gestor, tanto informações objetivas como subjetivas. Com a proposta, “você gostaria de saber o que seus colaboradores estão sentindo e pensando neste momento?”, um exemplo é quando, frequentemente, o funcionário precisa se ausentar, no Stou, o gestor consegue verificar os dias e enviar uma pesquisa direcionada à entender os motivos para conseguir ajudá-lo, se necessário”, explica Marco Balthazar, diretor de novos negócios do Stou.

“Nos últimos anos, temos registrado um crescimento expressivo. Em 2016, a empresa marcou uma alta superior a 30%. Assim como o mercado já sinaliza, o modelo em nuvem foi de grande importância para esse crescimento, pois permite, que em meio à crise, as empresas consigam reduzir custos com acesso a todas informações, de qualquer lugar do mundo, a partir de qualquer aparelho conectado à internet sem cobrança de licença de uso e sem contrato de fidelidade”, comenta Marcelo Germano de Oliveira, sócio-diretor comercial da iFractal.

.…………………………………………………………

O céu e o inferno do RH

#SomozTodozHackerz

 

tirinha ceu inferno

O Inferno de Douglas

São 7h30 da manhã e Douglas acaba de chegar à empresa onde trabalha, há seis anos, no ramo de transportes, como head de RH, sendo responsável pela gestão de cerca de 2 mil colaboradores. Depois de um café da manhã apressado, visto as inúmeras tarefas que o aguardam no dia de fechamento, mais uma vez, ele passa voando, sem tempo sequer para esboçar aos colegas aquele simpático e costumeiro sorriso diário.

O dia 20 logo se inicia e Douglas precisa realizar o fechamento mensal das horas e enviar para o sistema de folha de pagamento. Para isso precisa se certificar de que todas as informações estejam no sistema e os supervisores as tenham validado. Boa parte do trabalho, neste momento, é manual, como, acessar determinados relatórios do sistema em busca de falta de registro das pessoas por esquecimento ou por falha no sistema; afinal, se isso ocorrer, o colaborador deixa de receber seus vencimentos da forma correta.

Como esse processo, normalmente, é iniciado bem antes da data-limite do real fechamento do ponto, tudo precisa estar de acordo para que os dados sejam enviados para processamento em folha e, só então, o holerite dos funcionários, por fim, pode ser gerado. Depois de muitas horas nesse processo, Douglas está esgotado e só quer descansar.

 

O Céu de Izabella

Do outro lado da cidade, Izabella, que é head de RH há três anos de uma grande empresa do ramo de transportes, chega ao trabalho tranquila e, sorridente, cumprimenta e conversa com alguns colegas que estão no caminho até sua sala. Nesse dia, Izabella tem a tarefa principal de acompanhar o fechamento do ponto de, aproximadamente, 20 mil colaboradores.

O software de gestão de pessoas que Izabella usa funciona em nuvens, e consegue se comunicar a todo o momento com centenas de relógios de ponto, permitindo que ela monitore, em tempo real, a qualquer hora e lugar, toda a movimentação dos colaboradores. Na verdade, Izabella dedica seu tempo para analisar os relatórios e gráficos, diariamente, para atuar na melhora do ambiente corporativo, no engajamento e aperfeiçoamento dos colaboradores, focando toda a sua experiência como profissional de Recursos Humanos diretamente nas pessoas. Assim, Izabella consegue contribuir para o desenvolvimento da empresa como um todo.

 

O Purgatório

Muitas vezes, pecamos pela falta de informação. Outras vezes, pelo desinteresse em buscar por outras possibilidades de fazer as coisas de maneira mais eficaz. Eis que o tempo de sofrer acabou, e viver nas nuvens passou a ser o destino de todas as empresas.

Não se trata de uma luta do bem contra o mal, mas apenas da chegada de uma nova Era, onde os modelos, que um dia já foram o céu, hoje mais se parecem com o inferno para uma geração de profissionais de RH que não têm tempo a perder com processos burocráticos e dedicam toda sua energia às pessoas. No final, viver no inferno ou no céu é apenas uma questão de escolha.




Publicado, originalmente, na Revista Melhor

.…………………………………………………………

iFractal ministra palestra no Senac sobre a Geração RHacker

Com o propósito de contribuir com o mercado através da educação, a iFractal, pioneira no desenvolvimento de sistemas em nuvens para gestão de pessoas,  ministrou, em 7 de abril, para os alunos dos cursos de Recursos Humanos e Administração, no auditório do Senac, unidade Largo Treze, em São Paulo, palestra sobre o perfil do profissional RHacker.

Ao explicar o conceito de Internet das Coisas, o palestrante Douglas Alves, analista de sistemas da iFractal, mostrou, com cases e vídeos, que cada vez mais o mundo físico e o digital estão se unificando em virtude de dispositivos que se comunicam com data centers e as nuvens. “A nova geração dos Recursos Humanos já começou a se beneficiar da tecnologia. Livre de processos burocráticos, o profissional consegue focar em uma gestão de pessoas mais humanizada,  eficiente e dinâmica.”

Materia Palestra SENAC 01

Durante a apresentação, o palestrante desmistificou o que é ser hacker. “As pessoas que roubam dados na internet são criminosos virtuais, portanto, não devem ser chamadas de hackers. Os hackers são pessoas que buscam caminhos mais inteligentes para resolver problemas, usando ou criando novas tecnologias, ferramentas e recursos que não estão presos a modelos, sistemas ou processos”, esclarece.

Outro mito abordado foi sobre a tecnologia substituir pessoas. Douglas reforçou que a tecnologia em nuvens, acaba com processos burocráticos e manuais, o que permite, ao profissional, se dedicar em trabalhos intelectuais, criativos e às pessoas, habilidades que serão tendências no mercado do futuro.

Rosa Pugliesi, professora de gestão de pessoas do Senac, comenta que a palestra mostrou, aos alunos, como o RH tem acompanhado a tecnologia e trouxe mais informações sobre as ferramentas que podem ser usadas.

.…………………………………………………………

Aprisionamento tecnológico

#SomozTodozHackerz

Tirinha 02 Revista Melhor Gestao Mar17

Considerado uma estratégia de negócio, o aprisionamento tecnológico, também conhecido como Vendor Lock In, beneficia somente o fornecedor em detrimento de toda a sociedade. Veja como essa prática funciona.

Exclusivos

Você comprou aquele smartphone de última geração. Depois de algum tempo o cabo de recarga estraga e, ao tentar comprar outro, leva um susto com o preço. Então, descobre que a marca do seu smartphone usa um conector “exclusivo” e as opções genéricas, muito mais acessíveis, não funcionam plenamente.

Incompatibilidade Programada

Você sempre montou as suas apresentações, documentos e planilhas em um pacote de software considerado “Office padrão de mercado”. Como você está habituado a usá-los, decide fazer uma atualização, mas acaba desistindo por causa do alto custo. Ao pesquisar por alternativas com os mesmos recursos – inclusive, em alguns casos, que não exigem pagamento de licenças –, descobre que o esforço necessário para a migração é inviável, quando os seus documentos apresentam falhas de abertura no novo pacote. Esse tipo de incompatibilidade faz parte da política adotada pelo fabricante do seu habitual pacote Office, que implica não fornecer informações suficientes para que os arquivos possam ser abertos corretamente.

Venda Casada

Você implantou novíssimos relógios de ponto eletrônico, tudo conforme a legislação. Entretanto, o software oferecido pelo fabricante do relógio não atendia às necessidades da empresa. Ao tentar trocar o sistema, você descobre que o fabricante vinculou o hardware com o software, impedindo ou dificultando a implantação de um sistema mais alinhado.

Essa situação, com frequência, faz com que a empresa entenda que trocar todos os equipamentos ainda é a melhor decisão, visto que reduzirá prejuízos futuros.

Esses três casos são exemplos recorrentes de aprisionamento tecnológico. A estratégia consiste em criar dependência em relação ao fornecedor com ações oportunistas construídas a partir de contratos leoninos, lobbies, cartéis, desinformação e monopólios, sendo, dessa forma, nocivas para o cliente. Essa prática, além de inflacionar os preços, dificulta a inovação e acaba com a livre concorrência.

O termo aprisionamento vem justamente do fato de que, em geral, é muito difícil de se desvincular dos produtos desses fornecedores, pois demanda tempo e esforço. Para evitar essa situação, verifique, entre fornecedores do produto ou serviço, quais disponibilizam documentação e especificações técnicas que viabilizem a integração entre hardware e software de terceiros. É fundamental que o RH sempre converse com o TI sobre a implantação de projetos dessa natureza.

Publicado, originalmente, na Revista Melhor

…………………………………………………………

CONARH 2016: Intervenção artística no estande da iFractal reforça a importância da tecnologia humanizada

Pioneira no desenvolvimento de sistema em nuvens para gestão de pessoas, a iFractal é presença confirmada na 42ª edição do CONARH, o maior evento de Gestão de Pessoas da América Latina, que acontece de 15 a 18 de agosto no Transamerica Expo Center, em São Paulo.

Durante os quatro dias do evento, a partir das 14h30, no estande da iFractal, os visitantes poderão contar uma breve história profissional e receber um cartoon exclusivo desenhado na hora pelo artista plástico Paulo Stocker, que já leva seus cartoons, semanalmente, aos sistemas. Marcelo Germano de Oliveira, diretor comercial da iFractal, explica que o objetivo da ação é destacar a importância da humanização nas relações pessoais e com a tecnologia. “Queremos, justamente, reforçar que o real valor da tecnologia são as pessoas.”

…………………………………………………………

iFractal registra crescimento acima de 26% no primeiro semestre de 2015

O primeiro semestre de 2015 foi um período de desafio e redução de receita para a maioria das empresas no Brasil. Apesar das dificuldades estruturais do país, a iFractal, pioneira no Brasil em desenvolvimento de sistemas em nuvem para controle de ponto eletrônico, registrou um crescimento superior a 26% nos resultados comparado ao período equivalente do ano passado. Ainda no início deste segundo semestre, a iFractal já destaca uma projeção de crescimento ainda mais positiva e expressiva até o final do ano.

Marcelo Germano de Oliveira, sócio-diretor da iFractal, atribui o alto desempenho a vários fatores. “É uma somatória de movimentos que inclui lançamento de produto, aumento de portfólio, aprovações em licitações e, principalmente, a constante otimização no suporte e comunicação com o cliente, o que tem demonstrado um alto índice de fidelização que nos permite um crescimento contínuo”, explica.

Como tática interna, o sócio- diretor comenta que a empresa aproveitou o período para investir na evolução dos funcionários. “Iniciamos um trabalho, em parceria com o Instituto Evoluir e seu núcleo organizacional, denominado de LabEvoluir, com objetivo de alinhar as estratégias e potencializar as habilidades de cada membro da equipe a partir de ações e mudanças de consciência.”

Além disso, a popularização do acesso à internet e o advento dos dispositivos móveis criam cada vez mais o cenário perfeito para o avanço do modelo Cloud Computing. Para Marcelo é uma questão de tempo para que as empresas que ainda não tiveram contato com sistemas em nuvens possam conhecer os benefícios desse modelo. “Esse é mais um fator que contribui para que a iFractal se torne uma marca forte e competitiva mundialmente”, complementa.

…………………………………………………………